Marca Maxmeio

Memorial Itinerante Wilma de Faria é aberto na Casa de Cultura Popular de Caicó

Um reencontro com a história, memória e o legado da professora e ex-governadora Wilma de Faria. Esse foi o sentimento na abertura do Memorial Itinerante na Casa de Cultura Popular em Caicó. A exposição segue até o sábado (28), das 8h às 18h, com entrada gratuita.

Num fim de tarde de ceú aberto, amigos, familiares, admiradores, lideranças políticas do Seridó, além de prefeitos e vereadores de outras regiões do estado se reuniram em frente ao local da exposição para a solenidade de abertura do Memorial no fim da tarde de quinta-feira (26)

Após uma homenagem da banda da Polícia Militar, foi a vez dos poetas seridoenses Constância e Gustavo declamarem um soneto em memória da "guerreira". O músico caicoense Luciano Dantas, com seu sax, também prestou homenagem e emocionou os presentes ao som de vermelho e outras canções.

Em praça pública, o povo de Caicó e região se emocionou durante a exibição de uma curta videobiografia que termina com um discurso histórico da ex-governadora durante uma de suas campanhas políticas. Antes do corte da fita que abriu a exposição, a deputada estadual e filha da ex-governadora fez um breve discurso em que exaltou a importância de celebrar o passado.

"Criar esse memorial em homenagem a ex-governadora Wilma de Faria é a realização de um sonho coletivo. Nosso estado precisa valorizar o passado, valorizar a própria história e os personagens que a construíram ao longo dos anos. Por isso, mais do que a história de uma mulher, a exposição exalta ideais de igualdade e justiça social dos programas da época do seu governo, obras de relevância para população e o protagonismo feminino dela na política potiguar", exaltou Márcia Maia.

O deputado e amigo da ex-governadora, Vivaldo Costa, destacou o perfil itinerante da exposição e a história contada por ela. "É, sem dúvida, o que Wilma gostaria. Ela ser itinerante traz a essência da ex-governadora. Uma política pé no chão, que estava ao lado do povo, caminhando com o povo", afirmou.

Memorial

Entre fotos, textos, comendas, placas, roupas e outros artigos pessoais, a caminhada da ex-governadora é narrada desde a juventude até a elevação à chefia do Executivo Norte-Riograndense, como a primeira mulher a ocupar o posto na história do RN. A iniciativa reconta a história da vida pública da ex-governadora, mas de forma delicada e intimista, traz um olhar próximo da vida pessoal de Wilma de Faria. 

Eternizada com o título de Guerreira, Wilma Maria de Faria é lembrada através das obras sociais e estruturantes que melhoraram índices socioeconômicos e a vida dos norte-rio-grandenses, mas principalmente, pela coragem, competência e ousadia com a qual conduziu a vida.

Sobre Wilma de Faria

Wilma Maria de Faria nasceu em Mossoró e cresceu em Caicó, no Seridó do RN. Filha de Morton Mariz de Faria e Francisca Sales P. de Faria, foi graduada em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, instituição da qual também foi professora. Especializou-se em Sociologia e mestrado em Educação.

A trajetória política foi marcada pelo pioneirismo e pela ousadia. Em 1986 foi eleita a primeira deputada federal do RN, cuja atuação recebeu nota 10 do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar – Diap. Integrou o “lobby do batom”, uma luta pelos direitos das mulheres, durante o debate da Constituição Cidadã de 1988.

Em 1989 tornou-se a primeira prefeita de Natal, cidade que administraria por mais dois mandatos: 1996 e 2000. Em 2002, foi eleita a primeira mulher a governar o RN e se reelegeu em 2006. Em 2012, foi eleita vice-prefeita de Natal. Presidiu o Partido Socialista Brasileiro (PSB) por 20 anos. Em 2016, assumiu a presidência do Partido Trabalhista do Brasil (PT do B) e se elegeu vereadora de Natal.         

/MarciaMaiaRN
/Marciamaia_#