Marca Maxmeio

Deputada Márcia Maia defende permanência do Fórum na Zona Norte de Natal

Após o anúncio feito pelo Tribunal de Justiça do RN (TJRN) da desativação do Fórum Varella Barca, na zona Norte de Natal, a socióloga e deputada estadual Márcia Maia defendeu a permanência dos serviços da Justiça naquela região administrativa da capital potiguar.

Márcia destacou a importância da manutenção da unidade do Judiciário no local em razão da necessidade de a população ter acesso rápido e fácil dos serviços públicos.

"A zona Norte é uma região muito extensa, bstante populosa e que precisa da atenção de todos os orgão do Poder Público. Além disso, manter o Fórum significa manter a justiça mais perto da população. Por isso vamos manter o diálogo para que o Poder Judiciário possa manter o Fórum lá", afirmou a parlamentar.

O Fórum Varella Barca é considerado essencial pela população da Zona Norte em razão de facilitar o acesso às audiências, Comarcas e Varas do Fórum. Atualmente, funcionam no Varella Barca um total de três Varas Criminais: a 10ª, a 11ª e a 12ª.

Além disso, funciona também o 3º Juizado da Violência Doméstica, um dos quais possui a maior demanda de acordo com a administração do Fórum, e três Juizados Especiais Cíveis, o 14º, o 15º e os 16º. A 7ª Vara da Família, que já funcionou no Fórum, mudou de endereço ainda no passado, passando a funcionar no bairro de Lagoa Nova.

Sete magistrados e 41 servidores desempenham suas funções nas varas criminais e juizados especiais, além de três no setor de Distribuição e outros no setor de ajuizamento dos juizados especiais. Segundo informações do Tribunal de Justiça, o Complexo Judiciário em Potilândia tem estrutura suficiente para receber todas as unidades.

"Há uma série de dificuldades criadas para a população ao se transferir uma estrutura importante como essa. A própria zona Norte sofre com um sistema de transporte deficitário, além do que, a presença das estruturas do Poder Público acessíveis e próximas da população é uma forma de aproximar essas estruturas das pessoas", concluiu.

/MarciaMaiaRN
/Marciamaia_#